Poesia da Semana: Lágrimas Ocultas


Lágrimas Ocultas 

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que rí e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi outras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

Florbela Espanca
Comentários
5 Comentários

5 comentários:

  1. Confesso que não sou muito de poesia, e acabo deixando passar poemas bonitos como esse. Uma pena, porque achei muito bonito.

    www.laoliphant.com.br

    ResponderExcluir
  2. Wow! linda poesia, eu nunca tinha a lido. Adorei ♥♥♥

    Beijos
    http://www.culturaliteraria.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?
    Amei a poesia, confesso não sou de ler muito poesias, mas já li outras da Florbela e me encantei.
    Abraços...

    http://literaturaparaosaber.blogspot.com.br

    Amei seu blog e já estou te seguindo!

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a poesia. Como musicista, eu adoro poemas, poesias, versos e esses realmente são admiráveis, selecionou muito bem! rs

    ResponderExcluir

Regras:
- Seja educado;
- Parcerias devem ser tratadas através do e-mail;
- Comente, não divulgue. Você pode por o link para seu blog ao fim do comentário, mas não poste apenas isso.
Comentários que desrespeitem as regras serão deletados e não receberão resposta.