Eca... Poesia?

Olá, pessoas!
Em pleno século XXI ainda têm gente que gosta de poesia? Têm sim! E são muitos! Agora, você que não gosta, quer aprender a gostar?
Poesia, quando mencionado no meio de pessoas que gostam de literatura, tem o mesmo (e as vezes pior) tratamento que um auto-ajuda. Afinal, porque eu vou ler algo como Vinícius de Moraes se podia muito bem estar lendo um super romance distópico? Bem, não posso discordar que toda aquela magia de uma boa ficção soa muito mais atraente que um cara velho e solitário com uma caneta de pena na mão. Eu sou suspeita para falar, mas amo poesia. Quando ainda tínhamos a página de "Quem Escreve", antes de todo bug que deu com o blog, algumas pessoas vieram elogiar meu bom gosto por ter entre minhas autoras preferidas a poetisa portuguesa Florbela Espanca. Poderia fazer uma postagem inteira sobre ela, já que todos os trabalhos de artes que tinha oportunidade citava a coitada, mas tudo que eu fosse falar aqui vocês podem encontrar na Wikipédia ou em sites dedicados totalmente à ela, então prefiro me conter.
É pensando nos homens que eu perdoo aos tigres as garras que dilaceram. Florbela Espanca 
O mais incrível, na minha opinião, é quando a poesia se torna tão absurdamente fantasiosa que você cria toda uma história ao seu redor. As rimas tornam tudo mais melodioso e as estrofes organizam de forma que a leitura de uma poesia se torne algo rápido, mas ao mesmo tempo duradouro, como se ela ficasse dançando dentro de sua mente por muito mais tempo do que o que você passa com os olhos grudados nas palavras.
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti... Mario Quintana
Poemas são muito singelos e representam o mais profundo de seu autor, quando se escreve poesia você exprime para fora de si o que sente de mais forte, despeja em palavras sua vida e o que te atormenta. Acho que a maioria das pessoas não gosta de poesia por isso: Poesia impressiona, ela dói, fere, machuca. Não existem sinônimos o suficiente para expressar o que acontece quando você se identifica com um poema, sabe por quê? Porque a poesia é humana. Ela não é fantasiosa, e mesmo quando o é, é de maneira real, de maneira dolorosa. Ela mostra o que é vivido, não o que gostaria de se viver. A poesia é como uma girafa, com a cabeça nas nuvens e os pés no chão, e ao mesmo tempo que dá esperança, prende uma corda e puxa para terra.
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente. Fernando Pessoa
Ela se contradiz, ela se corrige, ela briga. Verso entre verso, numa harmonia generalizada, numa sinfonia sem maestro, mas que funciona mesmo assim. Porque apesar de tudo, a poesia é humana. E não importa o quão ruim o ser humano possa parecer de vez em quando, ele ainda é harmonioso, ele é desorganizado, mas funciona desse jeito. Ele é perfeitamente confuso, mas está aqui, vivo. Firme e forte. Inventando, reinventando, descobrindo, matando e morrendo.
As pessoas não gostam de poesia, não porque acham chata ou careta, mas porque estão cansadas da realidade e casadas com a ficção. Mas vocês, que estão nessa situação, saibam que a poesia sempre será o melhor dos amantes.
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Olá Luisa tudo bem? Durante muito tempo quando estava chegando na adolescência eu não curtia poesias achava chato, porem na adolescência já mudei minha opniao e comecei a escrever as minhas próprias, é claro que junto da adolescência vem o primeiro amor, o primeiro coração partido e por ai vai né? Encontrava nela o conforte que meu coração precisava ^^ Hoje sou um admirado absoluta do gênero!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eu sempre gostei de poesia desde que encontrei um velho volume de Três Gotas de Poesia (não me recordo o autor) perdido nos armários lá de casa, a partir daí comecei a fazer haicais e poemas simples, acho que eu me atraio mais pela poesia quando estou mais confusa sobre certa situação da minha vida, sinto mais o conteúdo.

      Excluir
  2. Amei seu post, Luísa! Você colocou aqui tudo o que eu penso de poesia, o preconceito que as pessoas tem com ela, a dificuldade de dar uma abertura para os poetas. Amei, mesmo! Parabéns :)

    Beijos!
    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Eu tentei mostrar para as pessoas que não tem o habito de ler o que significa a poesia para mim e o quanto seria gratificante se elas lessem também!
      Obrigada mais uma vez!

      Excluir

Regras:
- Seja educado;
- Parcerias devem ser tratadas através do e-mail;
- Comente, não divulgue. Você pode por o link para seu blog ao fim do comentário, mas não poste apenas isso.
Comentários que desrespeitem as regras serão deletados e não receberão resposta.